Balança comercial registra superavit de US$ 30 bi no 1º semestre de 2018

 

BCabril2018

A balança comercial  (diferença entre o volume de exportações e o de importações)  registrou saldo de US$ 30,055 bilhões no primeiro semestre de 2018. Apesar do resultado positivo, o saldo é 17% inferior ao registrado no mesmo período de 2017, de US$ 36,210 bilhões. É o segundo melhor resultado para o período da série histórica, iniciada em 1989.

Nos primeiros 6 meses de 2018, as exportações somaram US$ 113,834 bilhões. Melhor resultado de exportações para o 1º trimestre desde 2013, quando registrou US$ 114,4 bilhões.

As exportação cresceram 5,7% em relação ao mesmo período de 2017, com destaque para vendas de bens manufaturados e envios recordes de minério de ferro, soja em grão, farelo de soja e celulose.

As importações cresceram 17,2% e registraram US$ 83,779 bilhões no acumulado, com destaque para as compras de bens de capital.

De acordo com o secretário de Comércio Exterior, Abrão Neto, a greve dos caminhoneiros, que durou 11 dias em maio e fez as exportações caírem 36%, causou efeito nas primeiras semanas de junho.

“As exportações, nas duas primeiras semanas de junho, ainda tiveram um crescimento mais lento, recuperando-se a partir da terceira semana. A importação, a partir da segunda semana de junho, já voltou ao patamar que observávamos antes”, afirmou.

Em 12 meses, a balança acumula superavit de US$ 60,834 bilhões, apenas 1% superior ao alcançado no ano anterior, quando registrou US$ 60,242 bilhões.

SUPERAVIT DE US$ 5,8 EM JUNHO

Em junho deste ano, a balança comercial registrou superavit de US$ 5,882 bilhões. O valor é 18,1% inferior  ao mesmo período de 2017, US$ 7,184 bilhões.

As exportações no mês somaram US$ 20,202 bilhões. Em relação ao mesmo mês do ano passado, a alta foi de 2,1% pela média diária.

As importações também subiram, somando US$ 14,320 bilhões no mês. O avanço foi de 13,7% sobre junho do ano passado, pela média diária.

PREVISÃO PARA 2018

O ministro do MDIC, Marcos Jorge, afirmou que a pasta mantém previsão para superavit “na casa dos US$ 50 bilhões” para 2018.

No entanto, segundo o ministro, o saldo deve ser menor que o registrado em 2017, de US$ 66,9 bilhões. “Com a retomada da economia, o mercado está mais aquecido e naturalmente importa mais. Isso diminui o saldo da balança”, explicou.

Fonte: Poder 360, Marlla Sabino

Aparecido Rocha – especialista em seguros internacionais